Bayern joga bem, goleia Arsenal e abre boa vantagem na UEFA Champions League

O FC Bayern recebeu na Allianz Arena o Arsenal pelo primeiro jogo das oitavas de final da UEFA Champions League. E a história de outros jogos contra a equipe inglesa se repetiu. A equipe bávara jogou bem, dominou sempre a partida e com o 5x1 no placar, abriu boa vantagem no duelo.

Era um confronto visto já com certo sentimento de “déjà vu”, pois ele acontece pela quarta vez nas últimas cinco temporadas, sendo que só um destes duelos (sempre em ida e volta) foi na fase de grupos (temporada 2015/2016); os outros dois encontros foram pelas oitavas de final, com os bávaros sempre levando vantagem e se classificando (nas temporadas 2012/2013, em que o Bayern foi campeão, e também em 2013/2014).

Além disso, antes da sequência atual de confrontos, as equipes também se enfrentaram em 2000/2001, na antiga segunda fase de grupos (uma vitória bávara e um empate) e outra vez em 2004/2005 nas (adivinhem?!) oitavas de final, onde a equipe alemã também levou a vaga!

Apesar de ter toda essa vantagem no histórico de confrontos, o técnico Carlo Ancelotti disse, na entrevista realizada na véspera da partida, não levá-la tanto em consideração na preparação para o jogo de hoje: “"Eu não levo isso em consideração. Não será uma barreira psicológica. Se tiver isso, significa que eles vão tentar acabar com essa barreira nesse jogo contra a gente. Eu tenho muito respeito pelo Arsenal por conseguir jogar um futebol fantástico quando eles estão confortáveis no campo. Nós temos que deixá-los desconfortáveis”, argumentou o italiano.

Ainda sem Jérôme Boateng e Franck Ribéry nem no banco de reservas (os dois contundidos), Ancelotti voltou a utilizar Robben e Douglas Costa no time titular, diferentemente do que fez no sábado contra o Ingolstadt pela Bundesliga. Com isso Kimmich e Thomas Muller foram para o banco e também ficou claro a proposta mais ofensiva da equipe para esta partida.

Com esse esquema Thiago Alcântara começou jogando bem perto do ataque, num 4-2-3-1, com Vidal e Xabi Alonso mais recuados. E como era de se esperar o Bayern começou tendo mais a bola e controlando as ações.

O primeiro lance de perigo veio aos 7 minutos, depois de cruzamento pela direita, a bola sobrou para Vidal na entrada da área. Ele dividiu e ganhou a bola de Coquelin e chutou forte no canto esquerdo, para boa defesa de Ospina.

Robben abriu o placar na Allianz Arena. (Foto/Divulgação FC Bayern)

Mas aos 11 minutos não teve jeito e, num jogo com tantos “revivals” o gol não poderia sair de outra forma. Lahm e Douglas Costa tramaram a jogada pela direita até chegar à Robben, que cortou de forma um pouco despretensiosa para dentro até bater com a canhota. Ela foi no ângulo direito, sem chance para o goleiro. 1x0 no placar.

Aos 14 minutos Robben, depois de uma dividida da defesa com Lewandowski, ficou com a bola e novamente tentou seu chute tradicional, mas dessa vez ele chutou fraco e Ospina pegou sem problemas.

O que impressionou no início da partida foi como o Bayern pressionava a saída de bola do Arsenal e a roubava muitas vezes. Até os 20 minutos de partida já eram 14 recuperações de bola e 72% de posse de bola. Douglas Costa jogava sempre entrando para o meio, permitindo a ultrapassagem de Alaba, e tentando confundir a marcação adversária.

A primeira chance de gol para o Arsenal só apareceu aos 26 minutos. Ozil bateu falta na entrada da área e Neuer defendeu de forma meio estranha. Porém no rebote, Aléxis Sánchez já estava em impedimento.

Sanchez empatou o jogo para os ingleses (Foto/divulgação: FC Bayern)

Porém aos 28 minutos a história do jogo mudou um pouco. Ao tentar dominar uma bola na área, Lewandowski acertou Koscielny sem ver o zagueiro chegar na bola e o juiz marcou um pênalti discutível. Na cobrança Sánchez cobrou e Neuer defendeu, mas na segunda (!) tentativa, o chileno bateu de virada no canto direito do goleiro e empatou a partida.

Aos 34 após inversão de jogada para Alaba, o lateral cruzou e a bola foi na mão de Bellerín, que estava com o braço aberto e desviou a trajetória. Só que dessa vez o juiz só deu escanteio ao invés de marcar a penalidade. No minuto seguinte, a bola chegou até o lado direito para Vidal que cruzou próximo à linha de fundo para Lewandowski, que cabeceou “no susto” e a bola foi para fora.

Aos 39 minutos, após bobeada da defesa, Chamberlain conseguiu chegar no fundo pelo lado direito e cruzou para trás. Xhaka pegou de primeira, de perna esquerda, para boa defesa de Neuer.

Já aos 42 minutos, Douglas Costa chutou de fora da área, mas a bola subiu demais. Na primeira etapa o Bayern chutou 10 vezes ao gol, mas apenas 3 foram diretamente no alvo.

No minuto seguinte Alaba conseguiu boa jogada pela esquerda e cruzou na área. Lewandowski subiu sozinho, mas errou o tempo de bola e não conseguiu pegar bem e ela foi para fora.

Nos descontos, após bola lançada nas costas da defesa, Ozil saiu na cara de Neuer, mas o goleiro bávaro fez grande defesa, no fim de uma primeira etapa em que o Bayern começou muito bem, mas não conseguiu transformar sua superioridade em vantagem.

SEGUNDO TEMPO

Ancelotti não mudou a equipe na volta do intervalo. E na tentativa de repetir a pressão que foi vista no primeiro tempo, o Bayern novamente adiantou sua marcação para dificultar a saída de bola do Arsenal.

E logo na primeira chance de gol criada, o gol saiu aos 8 minutos. Lahm tabelou com Robben pela direita e cruzou na área. Lewandowski ganhou do alto de Mustafi e cabeceou no cantinho esquerdo de Ospina.

Logo na sequência, aos 11, a vantagem foi ampliada e com outro golaço. Thiago começou a jogada tocando para Xabi Alonso, que encontrou Lewa na entrada da área. O camisa 9 fez um passe maravilhoso de calcanhar para Thiago que apareceu livre na área e tocou de pé direito, no canto direito do goleiro.

Lewandowski e Thiago ampliaram a vantagem bávara no segundo tempo (Foto/divulgação: FC Bayern)

O Bayern continuou em cima para resolver o confronto no jogo de ida. Aos 16 Douglas Costa achou Lewandowski nas costas da zaga. Ospina saiu para fechar o ângulo e o centroavante conseguiu encobrir o goleiro e mandou a bola no travessão. No rebote, Robben chutou e a bola bateu no braço de Gibbs, mas o juiz novamente não marcou penalidade e apenas deu escanteio.

Na cobrança a bola chegou na cabeça de Javi Martinez que cabeceou firme mas Ospina defendeu no ângulo e mandou para novo corner.

Porém na nova cobrança, aos 18 minutos, não teve jeito. Após confusão na área, a bola sobrou para Thiago que bateu forte de fora da área. A bola desviou em Xhaka e enganou Ospina. 4x1 no placar!

Aos 22 Vidal avançou pela esquerda e bateu uma bola rasteira e forte, mas Ospina foi no cantinho e fez outra boa defesa.

A superioridade bávara foi completa nesse momento da partida. O número de passes trocados (666 contra 168) é uma prova da diferença entre os times e do domínio alemão no jogo.

Aos 35 minutos, Thiago caiu pela direita e tocou para Robben que entrou livre na área e bateu de pé direito. Ospina foi no ângulo direito e mandou para escanteio

E na sequência, no minuto seguinte, não é replay, mas outra defesa de Ospina! Douglas Costa caiu pelo lado direito e bateu com curva. Lewandowski estava na frente, mas mesmo assim o goleiro colombiano conseguiu o desvio para o canto.

Aos 38 a primeira alteração; Kimmich entrou no lugar de Douglas Costa para recompor mais o meio campo bávaro e jogar pela direita. Logo na sequência, o jovem coringa alemão já perdeu uma chance, chutando alto pra fora depois de um contra-ataque puxado por Robben.

Aos 41 entrou Muller no lugar de Lewandowski e um minuto depois Rafinha entrou no lugar de Robben, trocas que seriam apenas para passar o tempo depois de um grande segundo tempo.

Mas aos 43 o Arsenal resolveu ajudar. Chamberlain perdeu a bola na entrada da área para Kimmich e ela sobrou para Thiago, que rolou para Muller, que cortou para o pé esquerdo e bateu sem chance para Ospina e assim fechar o placar.

No todo o Bayern chutou 24 vezes ao gol, 11 delas ao alvo. Somando-se a, pelo menos, dois pênaltis não marcados, o placar ainda ficou barato para o Arsenal, na possivelmente, melhor atuação bávara na temporada. E ela aconteceu na hora certa. A única nota negativa da partida foi o cartão amarelo tomado por Lahm, que faz com que o capitão fique fora do jogo de volta, que será disputado no dia de 7 de março, em Londres.

Ficha técnica:

FC Bayern: Neuer - Lahm, Martínez, Hummels, Alaba - Alonso, Vidal - Robben (87. Rafinha), Thiago, Costa (84. Kimmich) - Lewandowski (86. Müller) 

Reservas: Ulreich, Bernat, Coman, Sanches

FC Arsenal: Ospina - Bellerin, Mustafi, Koscielny (49. Gabriel), Gibbs - Coquelin (77. Giroud), Xhaka - Oxlade-Chamberlain, Özil, Iwobi (66. Walcott) - Sanchez 

Reservas: Cech, Monreal, Welbeck, Elneny

Gols: 1:0 Robben (11.), 1:1 Alexis Sanchez (30.), 2:1 Lewandowski (53.), 3:1 Thiago (56.), 4:1 Thiago (63.), 5:1 Müller (88.)

Cartões amarelos: Hummels, Lahm / Mustafi, Sanchez, Xhaka

TAGS: UCL Robben Müller Arsenal Thiago Alcântara Lewandowski Champions league FC Bayern

PRÓXIMOS JOGOS

  • Bundesliga
    Hertha Berlin
    Bayern München
    1º de Outubro
    10h30
    Olympiastadion Berlin
    Berlim

BUNDESLIGA 2016/17

Classificação Pontos
TABELA COMPLETA

VÍDEOS

FRAUEN BUNDESLIGA 2016/17

Classificação Pontos
1 Wolfsburg 53
2 Bayern München 49
3 Turbine Potsdam 47
4 Freiburg 44
TABELA COMPLETA

ELENCO

Claire Falknor

Claire Falknor

  • Posição: Meio-campo
  • Número: 16
  • No Bayern desde: Janeiro/2016
CONHEÇA O ELENCO

FACEBOOK